Home / Respostas Sociais / Apoio domiciliário

Apoio domiciliário


O SAD é uma Resposta Social, que consiste na prestação de cuidados e serviços individualizados e personalizados no domicílio das pessoas quando, por motivo de doença, deficiência, idade, ou outro impedimento, não possam assegurar temporária ou permanentemente a satisfação das suas necessidades básicas e/ou atividades da vida diária.

 

O cumprimento desta missão obedece a uma estratégia de respeito pelos imperativos legais em vigor e pelos direitos do Utente como pessoa, e enquanto ser biopsicossocial e espiritual dotado de dignidade e direitos, cuja relação assenta num compromisso com a qualidade e os mais elevados padrões éticos.

Além das Obras de Misericórdia e da cultura institucional e caritativa da Misericórdia, entre outros, constituem princípios gerais que presidem à filosofia de trabalho e gestão do SAD os princípios da dignidade humana, da família como célula cristã fundamental da sociedade, da corresponsabilidade, da entreajuda e participação, da universalidade e igualdade, da solidariedade e economia social, da equidade social, da diferenciação positiva, da inserção social, da conservação dos direitos adquiridos, da tolerância e da informação.

O SAD, nas suas atividades, visa alcançar os seguintes objetivos:

  1. Contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos utentes e famílias;
  2. Prevenir a institucionalização desnecessária, decorrentes de situações de dependência;
  3. Acautelar crises e a deterioração grave da situação pessoal e familiar;
  4. Proporcionar apoio personalizado aos utentes e/ou suas famílias no seu domicilio, de forma a criar condições facilitadoras de desenvolvimento global, assegurando-lhe cuidados de ordem física e apoio social, estabilidade emocional e vivencia social.
  5. Contribuir para a promoção de atividades de sensibilização à comunidade envolvente que tenham por objetivo facilitar a integração do utente dependente, objetivando contribuir para a melhoria da qualidade de vida;
  6. Facilitar o acesso a serviços da comunidade;
  7. Promover a autonomia dos utentes;
  8. Prestar apoio psicossocial aos utentes e familiares, de modo a contribuir para o seu equilíbrio, bem-estar e melhoria da qualidade de vida;

 

Serviços:

O SAD tem condições para prestar os seguintes serviços:

  1. Cuidados de higiene e conforto pessoal;
  2. Higiene habitacional, estritamente necessária à natureza dos cuidados prestados;
  3. Fornecimento e apoio nas refeições, respeitando as dietas com prescrição médica;
  4. Tratamento da roupa do uso pessoal do utente;

 

O SAD tem, ainda, condições para assegurar outros serviços, designadamente:

  1. Apoio psicossocial;
  2. Cuidados de imagem;
  3. Realização de pequenas modificações ou reparações no domicílio;
  4. Realização de atividades ocupacionais, passeios e convívios;
  5. Outros serviços que se entendam essenciais ao bem-estar do utente a serem ponderados pela Mesa Administrativa.

Nota: Sem prejuízo de o SAD poder assegurar os serviços referidos nas alíneas a), b) e f) do parágrafo anterior, deve ter-se em conta a existência na comunidade de serviços mais apropriados à satisfação das necessidades dos utentes.

 

A resposta social de SAD prestou apoio a um total de 78 pessoas / agregados familiares, no ano 2020 e apoiou ao domicílio 7 pessoas, utentes do Centro de Dia, enquanto o mesmo se encontrava encerrado, logo totalizando 85 utentes/agregados familiares.

Ao longo do ano de 2020, deparamo-nos com diversas situações, nomeadamente, as principais:

  • Situações de “limitações físicas” temporárias, como quedas entre outras;
  • Pessoas de idade muito avançadas, que com receio de realizarem compras ou outros – que comprometessem a sua segurança e resguarda, em altura que o Concelho se encontrou em risco extremo de risco;
  • Devido às dificuldades físicas e psíquicas – novamente apoiados alguns casos de pessoas portadoras de doença do foro psiquiátrico;
  • Fase terminal de vida – grandes acamados ou doentes oncológicos, que envolve na grande maioria dos casos, um acompanhamento mais sistemático e em constante colaboração com os Serviços de Saúde locais.

Desde o início da situação pandémica que atravessamos, os cuidadores familiares viram as suas responsabilidades no cuidado ao idoso fragilizado, redobradas, dando suporte físico e psicológico, e, acrescentaram-se-lhes um maior cuidado de proteção contra o vírus, contra uma possível infeção, transmissão, etc. É um fator de stress que os mesmos tiveram de se adaptar mas que os nossos serviços podem suavizar.

Presta-se aos cuidadores informações especificas para melhor assistir a pessoa dependente, desde a orientação na aquisição de ajudas técnicas, como andarilhos, camas articuladas, colchões anti-escaras e/ou outros produtos especializados no cuidado a pessoa acamada.

 

Estes cuidadores são, na sua grande maioria, ligados emocionalmente ao idoso (sendo filho/a, esposa, marido etc), levando a um grande desgaste emocional e psicológico, sendo de extrema importância serem apoiados nesse mesmo “sofrimento”, para ajudar a reduzir o “stress” diário, ajudar a reduzir a sobrecarga e aumentar o bem-estar geral dos mesmos.